Paola Rica

estilo, finanças, saúde e dia a dia

Você sabe quando vale a pena ter cartão de crédito?

O cartão eletrônico revolucionou as formas de pagamento por produtos ou serviços, o que ajudou a tornar o processo de compra mais prático.

Mas é preciso saber quando vale a pena ter cartão de crédito e em que momentos seria ideal usar outros métodos de pagamento. A sua relação com as finanças e os hábitos de consumo dizem muito sobre isso.

Quando vale a pena ter cartão de crédito

Parcelas

A possibilidade de parcelar compras é um dos motivos pelos quais vale a pena ter cartão de crédito. Não é que a prática de transformar todas as suas despesas em pequenas parcelas seja a mais saudável para suas finanças, mas ela é necessária em muitas vezes. Quando você tem necessidade de algo que não pode pagar inteiramente em um mês, é o cartão quem salva.

Compras grandes

O cartão também é um aliado de quem tem o hábito de fazer grandes compras. Vale a pena ter cartão de crédito se você está reformando a casa ou costuma trocar os eletrônicos e eletrodomésticos com frequência.

É que ele é uma das melhores formas de comprar pela internet e nas lojas online há sempre mais chances de encontrar preços mais baixos do que nas lojas físicas.

Organização

Se você é uma pessoa organizada financeiramente, vale a pena ter cartão de crédito. É que, quanto mais você paga contas com o dinheiro de plástico, mais consegue reunir todos os seus débitos em um mesmo lugar.

Isso é de grande ajuda na hora de calcular e prever as despesas a serem quitadas, afinal, tem a maior parte dos gastos em uma única fatura.

Segurança

Também vale a pena ter cartão de crédito se você é uma pessoa que costuma compra com frequência na internet. É que ele ainda é o meio mais seguro para garantir que o dinheiro chegue ao verdadeiro destino final, sem sofrer nenhum tipo de saque, roubo ou extravio, conforme acontece com boletos fraudados ou números de contas alterados por malwares.

Planejamento

Se você pretende usar o método de pagamento para planejar-se, também vale a pena ter cartão de crédito. É que você consegue planejar exatamente a data de vencimento de todas as suas compras e corre menos risco de precisar pagar a fatura quando ainda não recebeu o seu salário para isso.

Outra dica extra é procura um cartão sem anuidade, para não ter gastos extras. Esta opção é importante, até porque existem vários modelos cartões sem anuidade disponíveis no mercado.

Compre com tranquilidade

Para quem usa o cartão com consciência e aproveita todos os seus benefícios sem comprometer o bolso, falta só escolher aquele que mais se adapta às suas necessidades e exigências.

10 dicas de segurança ao preencher cheque

Você vai pagar por uma compra e percebe que esqueceu dinheiro e nem mesmo o cartão está em mãos. Nessa hora, resta a opção de preencher cheque, se um talão estiver disponível. Mas como fazer isso com segurança?

Essa ferramenta de pagamento pode ser cada vez menos usada, mas ainda não foi extinta. É verdade que, só em 2015, houve queda de 10% na sua emissão, segundo o Banco Central, mas muitas pessoas ainda gostam mais de preencher cheque do que pagar com outros meios.

Como preencher cheque com segurança

Seja para emergências ou por questão de preferência do usuário, é importante adotar procedimentos de segurança ao preencher cheque. Afinal, casos de falsificação não são raros.

1. Nunca coloque dados pessoais no verso

Antigamente, essa prática era comum. Hoje, porém, pode dar margem para o planejamento de um sequestro ou outros crimes – principalmente se o estabelecimento for assaltado. Se for realmente necessário, coloque um telefone comercial.

2. Preencha o cheque atentamente

Inserir as informações de forma correta ao preencher cheque ajuda a evitar fraudes.

3. Use símbolos

No campo onde será preenchido o valor (canto superior direito), você pode desenhar o símbolo jogo da velha (#) antes e depois do valor. Assim, evita que essa informação seja alterada por terceiros.

4. Cuide com espaços em branco

Logo abaixo, no campo em que você precisa colocar o valor por extenso, não é seguro deixar espaços em branco. Portanto, assim que terminar de escrever, preencha o restante com uma linha. Para dobrar a segurança, escreva o valor entre parênteses.

5. Recorra ao cheque nominal

Se quiser garantir que apenas uma pessoa poderá descontar ou depositar o cheque, faça isso de forma nominal. No campo onde diz “a” (logo abaixo do valor por extenso) escreva o nome completo dessa pessoa, ou razão social do estabelecimento.

6. Entenda o cheque ao portador

No valor de até R$ 100,00, o cheque pode ser do tipo “ao portador”, o que significa que qualquer pessoa pode descontá-lo. Acima disso, ele deve ser nominal, conforme as regras da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban).

7. Cruze o cheque

O ato de cruzar o cheque, fazendo dois traços paralelos na diagonal da folha, também torna o pagamento mais seguro.

8. Atente ao pré-datado

O cheque pré-datado é uma opção de pagamento parcelado, porém os bancos aceitam os cheques, independentemente da data. Assim, existe a possibilidade de o credor descontar antes. Por isso, só emita a folha a estabelecimentos de confiança.

9. Conheça seus direitos

Se descontarem um cheque pré-datado antes da data combinada, você receber uma indenização por danos morais (sobretudo se ficar com nome sujo). Essa regra vale desde 2009.

10. Previna-se

Em caso de roubo ou perda de cheques emitidos, você pode sustá-lo. Entretanto, o banco cobra por esse serviço, que funciona mediante apresentação do boletim de ocorrência. E isso não isenta você do pagamento devido.

Você vai se interessar por:

Organize suas finanças

Para aprender a controlar as contas do lar, é preciso ouvir quem sabe. Se você quer usar o seu dinheiro de um jeito mais inteligente, assine nosso canal.

Gostou das dicas para preencher cheque com segurança? Compartilhe

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén